nakliyat eskişehir halı mağazası menemen evden eve nakliyat aliağa nakliyat mersin evden eve nakliyat eskişehir beyaz eşya servisi yabancı dil eğitimi evden eve nakliye ankara implant ankara gülüş tasarımı

Dia Internacional da mulher: Conquistas e obstáculos das mulheres na construção civil

Publicado por Atex em 8 de março de 2022

O dia 08 de março é uma data para celebrar a luta por uma sociedade menos sexista. Por isso, é tão importante aproveitarmos esse momentos para realizarmos uma reflexão sobre o nosso setor. Nos últimos anos, a realidade das mulheres da construção civil tem mudado aos poucos no Brasil. Um exemplo é o aumento da participação feminina em ocupações que antes eram exclusivamente masculinas. Serviços como os de servente, mestre de obras e engenheiro agora são desenvolvidos por elas sem deixar nem um pouco a desejar.



Cresce o número de mulheres na construção civil



Segundo os últimos dados divulgados na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) do Ministério da Economia, de 2006 a 2019, o número de trabalhadoras formais no setor passou de 108 mil para 214 mil. Ou seja, as profissionais que operam em canteiros de obras cresceu 98% no Brasil.

É possível notar também uma mudança nos cargos de engenheiro. De acordo com os números mais recentes do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), no ano de 2019 existiam 199 mil mulheres ativas na profissão. Isso significa que atualmente elas já representam 19% do total de trabalhadores desse mercado.

Apesar de ser um número ainda baixo, a tendência é de que ele continue a aumentar. Afinal, o Censo da Educação Superior aponta para uma alta ininterrupta de estudantes do sexo feminino nas graduações de engenharia desde 2012. Na engenharia civil, por exemplo, a presença das mulheres saltou de 23,4% em 2012 para 30,2% no ano de 2019, quando o Ministério da Educação realizou o último Censo.




Mulheres conquistam novos postos de trabalho



A Atex é uma das empresas que têm absorvido mão de obra feminina para trabalhar na construção civil. Nos últimos meses, a empresa realizou a contratação de duas mulheres para atuarem como auxiliares de produção, uma função que até então era exercida apenas por homens dentro da companhia. E se engana quem acha que a adaptação demorou a ocorrer. Com pouco tempo de casa, as duas já conquistaram a admiração de seu supervisor.



dia da mulher



Segundo Jonatas Tirado, gerente industrial da Atex, Reginalda Matos ingressou na empresa em novembro de 2021. Sua principal tarefa tem sido produzir e embalar espaçadores. Já Beutranda Santos, começou em fevereiro deste ano cortando e furando reforços metálicos para fôrmas, além de operar máquinas injetoras. Para ele, o que mais chama a atenção no trabalho desenvolvido por elas são “a dedicação, a alegria e o companheirismo”.



Karine Rodrigues, gerente de Recursos Humanos da Atex, conta que percebe uma mudança não só na área da construção civil. “A gente vê a participação das mulheres no mercado de trabalho aumentando. Hoje, elas ocupam vários postos que eram inimagináveis para pessoas do sexo feminino. Cada vez mais nós nos superamos e mostramos que podemos estar em qualquer lugar”, afirma. Karine ainda diz que continua sendo um desafio promover igualdade e acesso, mas isso precisa ser um dever de toda organização. “Aqui na Atex estamos de portas abertas para as profissionais. Incentivamos o ingresso em todas as posições e buscamos promover um ambiente de respeito para todos”, ressalta.



O cenário é positivo, mas ainda existem obstáculos



Mesmo com todo esse cenário de mudanças, ainda existem muitos obstáculos a serem vencidos pelas mulheres, principalmente na construção civil. Alguns deles são:



• Falta de reconhecimento: Muitas vezes, as profissionais precisam provar o tempo inteiro que são capazes de completar uma tarefa. Sem falar que nem sempre são reconhecidas pelas suas conquistas;

• Assédio constante: Outro problema é o assédio enfrentado no dia a dia das mulheres que trabalham em canteiros. Muitas chegam a desistir da sua carreira, já que o desconforto causado por este problema se torna rotineiro;

• Diferença salarial: Ainda existem profissionais que recebem menos do que seus colegas homens para exercerem a mesma função. A diferença salarial contribui para o desânimo em continuar em um espaço que não a valoriza;

• Falta de incentivo: Por fim, a falta de apoio por parte de parentes e pessoas próximas costuma pôr fim a muitas carreiras brilhantes. Afinal, não é fácil ouvir todos os dias que aquela profissão “não é para você”.



Depois de tudo isso, dá para entender por que essa data é tão importante para as mulheres da construção civil, não é mesmo? Para ler mais sobre esse e outros temas, continue acompanhando o nosso blog.

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba em seu e-mail nossos conteúdos mais recentes e mantenha-se atualizado sobre o universo da construção civil.

    Últimos posts

    Deixe seu Comentário

      Post
      Relacionados

      Contatos comerciais em

      • Gunnar San Martin (Capital)

        11 99327-4498

        atexsp@atex.com.br

      • Eduardo Souza Lima (Capital)

        11 95259-6178

        eduardo.lima@atex.com.br

      • Maicon Douglas Oliveira (Capital)

        11 95259-5309

        maicon.oliveira@atex.com.br

      • Adriano Azevedo Oliveira (Capital)

        11 95259-5696

        adriano.oliveira@atex.com.br

      • Marcelo Santos Silva (Vale do Paraíba - Litoral)

        11 95259-6150

        marcelo.silva@atex.com.br

      • Tiago Figueiredo (Campinas e região)

        19 98892-2286

        tiago.figueiredo@atex.com.br

      • Leonardo Gomes (Ribeirão Preto e região)

        17 98831-7833

        leonardo.gomes@atex.com.br