Voltar para listagem

Laje nervurada alivia peso de estruturas de 148m de extensão


Proprietário da obra: Governo do estado de Minas Gerais.
Contratante: Consórcio Camargo Corrêa, Mendes Junior e Santa Bárbara.
Local da obra: Rua da Cavalariça, 99 – Serra Verde, Belo Horizonte (MG).
Data da obra: Início: 04/2008. Encontra-se em fase de acabamento.
Fornecedor: Atex do Brasil Locação de Equipamentos Ltda.
Nome do Produto: Fôrmas para Laje Nervurada.

LOCAL DA OBRA

O edifício do Palácio do Governo faz parte do complexo Cidade Administrativa de Minas Gerais, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer. A escolha do terreno de 804 mil m², no bairro de Serra Verde, levou em conta que sua localização evitará transtornos ao trânsito da capital, além de ser servida por amplos serviços de transporte público.

DESAFIO

“A opção pela laje nervurada partiu da necessidade de aliviar, ao máximo, o peso sobre a estrutura suspensa do edifício do Palácio do Governo que mede 148 m de extensão – o maior vão suspenso do mundo”, explica Mario Terra Cunha, diretor da Avantec Engenharia, consultoria responsável pelo projeto em parceria com a Casuarina Consultoria. Outro desafio foi definir uma alternativa em laje que assegurasse rigidez e, ao mesmo tempo, evitasse que os usuários do edifício sentissem o desconforto da vibração do piso, o que ocorreria se utilizada uma laje maciça. “Com a laje nervurada obtivemos, uma estrutura mais rígida”, diz, acrescentando que o fato de o edifício ser retangular facilitou o uso da modulação própria da laje nervurada. A solução foi utilizada nos cinco pavimentos e na cobertura. A melhor opção em fôrmas, neste caso, é a de polipropileno da Atex.

A estrutura suspensa do edifício do Palácio do Governo mede 148 m de extensão – o maior vão suspenso do mundo.

SOLUÇÃO

“A Atex entra no projeto como solução no ganho do peso”, afirma Mario Terra, que continua: “Nós aplicamos uma estrutura com cinco lajes suspensas por tirantes de aço. Tivemos que fazer o possível para aliviar o peso, de maneira a reduzir a quantidade de estrutura necessária para sustentar os tirantes. Utilizamos nos painéis de laje a solução nervurada. Nas vigas, construídas ‘in loco’ em duas etapas, usamos a protensão, o que propiciou vigas mais esbeltas e com menos concreto, se comparadas às de concreto armado convencional”.

A fôrma de plástica da Atex é extremamente prática, pois permite reaproveitamento total: depois que o concreto endurece, a fôrma é removida e reaproveitada no pavimento acima, sem desgaste e com grande produtividade. “Além disso, o processo é mais econômico, pois a quantidade de escoramentos é menor - dispensando os tapumes generalizados como exigido pelas fôrmas de isopor”, complementa o diretor da Avantec.

As fôrmas para laje nervurada da Atex possuem várias dimensões e alturas, atendendo a todos os tipos de projetos, desde vãos menores até os de maior envergadura. De fácil montagem e desmontagem, as fôrmas são apoiadas diretamente sobre o escoramento, eliminando tecnologias já ultrapassadas, proporcionando uma laje com ótima estética e acústica, fatores importantes para determinadas obras. Dispensa o uso de compensados e inertes; simplifica a armadura; reduz a despesa final da obra; oferece nervuras com larguras tecnicamente dimensionadas para alojar ferros; além de estrutura segura, sem perigo de corrosão precoce e de fácil desforma manual.

Redação AECweb

outras novidades